Terça-Feira, 16 de Janeiro de 2018 - SÃO JOSÉ DOS QUATRO MARCOS

Indea acompanha vacinação do rebanho em propriedades na fronteira

A primeira etapa da campanha de vacinação contra febre aftosa em Mato Grosso foi encerrada na terça-feira (31.05). Durante 40 dias, 22 equipes do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea), visitaram 1.988 propriedades localizadas na fronteira seca entre Brasil e Bolívia, nos municípios de Cáceres, Pontes e Lacerda, Porto Espiridião e Vila Bela da Santíssima Trindade, que juntos somam cerca de 481 mil cabeças de bovinos.

As equipes realizaram a vacinação assistida em 842 propriedades, número que representa pouco mais de 2% do total de propriedades do estado, meta designada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Foram vacinados 216.478 bovídeos de 0 a 24 meses de idade. Além de acompanhar a imunização do rebanho, os fiscais realizaram vigilância ativa. Vistoriaram mais de 211 mil bovídeos e outros 6,6 mil animais entre caprinos, ovinos e suínos.

O Indea realiza esse trabalho durante as duas etapas de vacinação contra febre aftosa. As propriedades são notificadas e a vacinação é assistida, fiscalizada ou realizada com agulha oficial.

Integração Brasil-Bolívia

A diretora técnica do Indea, Daniella Bueno, participou na quarta-feira (01.06) da entrega de 80 mil doses de vacina de febre aftosa para o Comitê Internacional Misto Brasil Bolívia (CIMBB), em San Matias.

As vacinas foram doadas pelo Fundo Emergencial de Saúde Animal de Mato Grosso (Fesa-MT), para atenção maior na região de fronteira. Trinta mil doses da vacina foram entregues a produtores de San Ignácio de Velasco, e 50 mil doses para produtores de San Matias.

Duas equipes com quatro médicos veterinários do Serviço Nacional de Sanidade Agropecuária e Inocuidade Alimentar da Bolívia (Senasag) acompanharam durante dois dias a vacinação em Mato Grosso, com o objetivo de conhecer o trabalho realizado no estado. O mesmo será feito por técnicos do Indea que irão acompanhar, de 6 a 18 de junho, a vacinação do lado boliviano.

O CIMBB é formado pelo Indea e Sindicados Rurais dos municípios mato-grossenses da fronteira, pelo Senasag, Associação de Ganaderos San Matias (Agasan), Associação de Ganaderos San Ignácio de Velasco (Agasiv), e pelos Comitês Cívicos (representação dos indígenas).

A área de vigilância epidemiológica do lado boliviano compreende uma faixa de 15 quilômetros em toda extensão da fronteira com o Brasil, deve ser vacinado todo o rebanho bovino e bubalino, em todas as idades.

Vacinação

Na etapa de maio é obrigatória a vacinação de todo o rebanho bovino e bubalino, com até 24 meses de idade. A comunicação da imunização dos animais deve ser feita até o dia 10 de junho, nos escritórios do Indea. Para efetuar a comunicação, o produtor precisa apresentar a relação dos animais vacinados e a nota fiscal da compra da vacina.

A multa para quem não imunizou o rebanho dentro do período da campanha é de 2,25 UPF (Unidade Padrão de Fiscal) por cabeça de gado não vacinado. O produtor que atrasar a comunicação fica impossibilitado de emitir a Guia de Trânsito Animal (GTA) por um período mínimo de 30 dias.


Comentários

  • Um Resumo

    logo

    Este site foi desenvolvido com toda técnologia semântica do HTML5 e foi criado com as últimas tecnologias disponíveis.

  • Facebook

Desenvolvido por Alexandro (65) 99629-0014 | MEUCI.com.br